terça-feira, 1 de setembro de 2015

Vistoria veicular é tema de curso oferecido pelo Icetran



Florianópolis (1º.09.2015) - Profissionais que atuam na área de vistoria veicular em todo o estado participaram, nos dias 29 e 30 de agosto, em Florianópolis, do curso de vistoria de identificação veicular e documental oferecido pelo Instituto de Certificação e Estudos de Trânsito e Transportes (Icetran). Com o apoio do instituto, profissionais do setor de leilão do Detran/SC se uniram ao grupo para trocar experiências e ampliar seus conhecimentos.



Ministrado pelo agente de polícia civil, Silvani Schmidt Filho, que há 27 anos atua especificamente com veículos, o encontro teve uma carga horária de 16 horas, nas quais foram abordados assuntos como: ética no exercício da profissão; legislação aplicada; técnica de identificação de chassi, motor e agregados; técnica de identificação documental; técnica de vistoria de existência e funcionamento dos equipamentos obrigatórios; além de uma aula prática, com estudo de caso.

 

Segundo Getúlio Stadnick Neto, integrante da Comissão Estadual de Leilão do Detran/SC, que participou do curso juntamente com Mário César Vicente, também do setor de leilão, o curso foi muito importante e vai contribuir para o trabalho de avaliação dos veículos nos pátios.
“Ter um conhecimento mais amplo sobre o assunto nos ajuda a identificar com mais facilidade os vestígios que possam indicar uma provável adulteração em qualquer elemento de identificação do veículo que está apreendido e em condições de ir a leilão. Um trabalho minucioso e de muita responsabilidade”, frisou Getúlio.

segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Governador autoriza nomeação de 38 Psicólogos Policiais Civis



Florianópolis (31.08.2015) – O governador Raimundo Colombo autorizou nesta segunda-feira (31) a nomeação de 38 psicólogos policiais civis aprovados em concurso público de 2010. Os candidatos têm 30 dias para apresentação dos seus documentos na Academia da Polícia Civil (Acadepol) e na seqüência iniciam o curso de formação profissional com duração de quatro a cinco meses. O ato de nomeação será publicado nesta segunda-feira , 31 de agosto.


Para o Secretário da Segurança Pública, César Augusto Grubba, a nomeação de 38 Psicólogos Policiais Civis vem ao encontro da política de recomposição dos efetivos e será fundamental para atendimentos nas delegacias especializadas de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso (DPCAMI).



Já o Delegado Geral da Polícia Civil, Artur Nitz, informou que os novos Psicólogos Policiais Civis serão distribuídos nas diversas regiões, após conclusão do curso de formação profissional – Acadepol.

terça-feira, 25 de agosto de 2015

Governo do Estado apresenta a campanha "Drogas. Não dá mais para aceitar"





Florianópolis (25.08.2015) - Para fortalecer a prevenção e o enfrentamento às drogas, o Governo de Santa Catarina apresentou nesta terça-feira, 25, no Teatro Pedro Ivo, em Florianópolis, a campanha "Drogas. Não dá mais para aceitar". Trata-se de um conjunto de ações multissetoriais a fim de sensibilizar a sociedade para a repercussão que o uso de drogas causa não apenas na vida do usuário, mas em todo o núcleo social em que ele está inserido.

“Todos conhecemos os danos que as drogas causam na vida das pessoas, destrói famílias, prejudica, escraviza... Há necessidade de uma reação forte da sociedade e, aqui, em Santa Catarina muitos fazem um trabalho extraordinário, que serve como apoio para muitas pessoas, no entanto precisamos avançar. Temos que agir na conscientização da sociedade, mostrar as consequências e o sofrimento que as drogas vão causar. Vamos em frente, unir e somar forças, trabalhar em conjunto para fazer um excelente trabalho na proteção de todos os catarinenses”, afirmou o governador.

O vice-governador Eduardo Pinho Moreira ressaltou que Santa Catarina apresenta indicadores importantes em todos os setores e, com a adesão e mobilização de toda sociedade, o Estado também busca mostrar um exemplo de sucesso no combate às drogas. “Temos instrumentos que permitem enfrentar esse problema que acaba com as famílias e com a vida. Tenho certeza que mais uma vez vamos dar bom exemplo para o país”, disse Pinho Moreira.
Comparecerem ao evento em torno de 650 pessoas e foram distribuídas 620 camisetas da campanha. 

 TJ, MP, Alesc e Imprensa apóiam a campanha

Representantes do Ministério Público, Tribunal de Justiça, Imprensa e Assembleia Legislativa estiveram presentes no evento e reforçam a campanha de combate às drogas. “É uma integração importante. Não é uma ação isolada. Ela é de todos nós. Temos que combater juntos os problemas das drogas”, disse o governador Raimundo  Colombo.

“Temos no Brasil, com as drogas, uma epidemia, que não atinge apenas as classes mais pobres, ela permeia toda nossa sociedade, com o mesmo efeito devastador das famílias. Por isso, a Assembleia Legislativa será parceira não apenas desta campanha, mas de todas as ações que contribuam para o bem-estar da população”, afirmou o presidente da Assembleia Legislativa, Gelson Merisio.

Para o procurador-geral de Justiça do Estado de Santa Catarina, Sandro José Neis, o lançamento da campanha busca a conscientização coletiva que mexe com a reflexão e paradigmas. “É um dia especial e importante. A questão das drogas é muito grave. O Poder Judiciário, por meio do Tribunal de Justiça, abraça essa ideia de prevenção e não poderia deixar de apoiar uma campanha tão importante. As drogas são um problema que integram praticamente todas as sociedades contemporâneas. O resultado negativo decorrente disso é de ordem social e econômica, por gerar uma desestrutura da família e da sociedade”, salientou o coordenador do Núcleo de Comunicação Institucional do Tribunal de Justiça, desembargador Ricardo José Roesler.


A droga ultrapassou o limite de ser um problema de saúde pública ou de polícia

“Se eu tivesse que fazer uma definição curta e simples do problema, diria que as drogas são o mal do século”, afirmou o secretário de Estado da Segurança Pública, Cesar Grubba. Para ele, a partir do exemplo de Santa Catarina, outros estados do país deveriam trabalhar em campanhas de prevenção e combate às drogas.

A droga ultrapassou o limite de ser um problema de saúde pública ou de polícia. Hoje, ela atinge diretamente o dia a dia do cidadão e está adoecendo a sociedade de maneira geral. Temos o auto abandono causado pelo crack, as patologias decorrentes do uso de entorpecentes em pessoas com predisposição, o esfacelamento do núcleo familiar, o aumento da violência doméstica e nas ruas, entre tantos outras consequências.

De acordo com dados da Secretaria de Estado da Segurança Pública, a cada dez casos de violência registrados em Santa Catarina, sete estão relacionados a drogas ilícitas. Isso impacta diretamente a população. Em outros setores, não é diferente. Entre a população carcerária, por exemplo, 42,1% dos presos são por tráfico. O índice é maior que o de roubo (16,9%), furto qualificado (13,2%), homicídio (12,6%), furto simples (9,6%) e latrocínio (4%).

Nos índices de homicídio, 65% das vítimas e/ou autores possuem antecedentes criminais e em quase a totalidade desses casos o histórico tem a ver com o tráfico ou uso de drogas. Estima-se que entre 60% e 70% de todas as ocorrências de homicídios tenham correlação direta (tráfico) ou indireta (desavença) com situações envolvendo drogas. 


“A droga é uma tragédia na vida das pessoas. O Estado está enfrentando com coragem esse tema que aflige o mundo inteiro. É uma ação que será conduzida de forma intersetorial, envolvendo, especialmente as áreas de Segurança, Assistência, Saúde e Educação, mas que também depende do apoio da sociedade. Juntos e com eficiência, poderemos vencer esse drama”, afirmou a secretária de Estado de Assistência Social, Trabalho e Habitação, Angela Albino. 


A Secretaria da Justiça e Cidadania faz a sua parte na busca pela ressocialização dos presos por meio do trabalho. Hoje, existem mais 200 empresas conveniadas que instalaram oficinas de trabalho nas 49 unidades prisionais do Estado. Nelas, os presos trabalham em atividades que exigem mão de obra qualificada, recebem um salário mínimo por mês, têm redução da pena e conseguem ajudar financeiramente suas famílias no período de reclusão. “O mais importante é que eles saem da prisão capacitados para buscar um emprego e seguir a vida”, destacou a secretária Ada de Luca.


Um questionário aplicado pela Secretaria de Estado da Educação, em 2010, em 1,3 mil unidades escolares da rede estadual, sobre o uso de drogas ilícitas apontou que 9,27% dos participantes já fez uso de maconha; 2,30% de crack; 1,77% de cocaína; 1,29% de inalantes; e 1,12% de ecstasy. Quanto ao perfil dos usuários, 13,86% eram do ensino médio; 6,83% alunos das séries finais do ensino fundamental; 1,26% das séries iniciais do ensino fundamental; 2,41% funcionários da parte administrativa e 2,22% eram professores.


A mobilização também alerta para a importância da construção de políticas públicas que, além de tratamento adequado aos dependentes, afastem crianças, jovens, famílias do primeiro contato com os entorpecentes.


“A droga é uma tragédia na vida das pessoas. O Estado está enfrentando com coragem esse tema que aflige o mundo inteiro. É uma ação que será conduzida de forma intersetorial, envolvendo, especialmente as áreas de Segurança, Assistência, Saúde e Educação, mas que também depende do apoio da sociedade. Juntos e com eficiência, poderemos vencer esse drama”, afirmou a secretária de Estado de Assistência Social, Trabalho e Habitação, Angela Albino. 


A Secretaria da Justiça e Cidadania faz a sua parte na busca pela ressocialização dos presos por meio do trabalho. Hoje, existem mais 200 empresas conveniadas que instalaram oficinas de trabalho nas 49 unidades prisionais do Estado. Nelas, os presos trabalham em atividades que exigem mão de obra qualificada, recebem um salário mínimo por mês, têm redução da pena e conseguem ajudar financeiramente suas famílias no período de reclusão. “O mais importante é que eles saem da prisão capacitados para buscar um emprego e seguir a vida”, destacou a secretária Ada de Luca.


Um questionário aplicado pela Secretaria de Estado da Educação, em 2010, em 1,3 mil unidades escolares da rede estadual, sobre o uso de drogas ilícitas apontou que 9,27% dos participantes já fez uso de maconha; 2,30% de crack; 1,77% de cocaína; 1,29% de inalantes; e 1,12% de ecstasy. Quanto ao perfil dos usuários, 13,86% eram do ensino médio; 6,83% alunos das séries finais do ensino fundamental; 1,26% das séries iniciais do ensino fundamental; 2,41% funcionários da parte administrativa e 2,22% eram professores.


A mobilização também alerta para a importância da construção de políticas públicas que, além de tratamento adequado aos dependentes, afastem crianças, jovens, famílias do primeiro contato com os entorpecentes.

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Governo lança campanha contra uso de drogas nesta segunda-feira, 24




Campanha combate as drogas tratada 1




Florianópolis (21.08.2015) - O Governo do Estado lança nesta segunda-feira, 24, uma grande campanha de conscientização contra o uso de drogas. O lançamento acontece no Teatro Pedro Ivo, na SC 401, a partir das 10 horas. A campanha tem o apoio do Poder Judiciário, Ministério Público e Assembléia Legislativa.


Focada em depoimentos de pessoas que vivenciaram a tragédia das drogas, o trabalho alerta para os malefícios causados com o uso de entorpecentes. Estudos da Organização Mundial da Saúde, organismo da ONU, informam que o Brasil é o maior consumidor de drogas na América do Sul.


Para o secretário César Augusto Grubba, da Segurança Pública, “repressão pura e simples têm efeitos difusos e afetam a conseqüência, não as causas”. Ele defende projetos de políticas inclusivas, que transcendam a repressão e punição, conduzidas em paralelo, de forma concomitante e inteligente, atuando sobre grupos alvos estrategicamente selecionados, podem ter resultado mais efetivo e mais transformador;



Drogas apreendidas 21-08-2015



No campo de apreensão, no período compreendido entre 2011 e 2015 (até a presente data), a segurança pública de Santa Catarina já retirou de circulação um total de 29,2 toneladas de drogas do grupo maconha, cocaína e crack. A média de apreensão de drogas das forças de segurança do Estado é de 7 toneladas por ano.



Só este ano, de janeiro a maio, já foram apreendidos 1,5 tonelada de maconha, 56 quilos de cocaína, 30 quilos de crack, mais de 4,2 mil micropontos de LSD e mais de 13 mil comprimidos de Ecstasy.







Campanha combate as drogas final tratada 2

terça-feira, 18 de agosto de 2015

Polícia Civil catarinense participa do Fórum Nacional de Enfrentamento a Roubos a Bancos


forum tratadaa



Florianópolis (18.08.2015) - A Polícia Civil catarinense está participando, entre os dias 18 a 20 deste mês, do III Fórum Nacional de Enfrentamento a Roubos a Bancos, promovido pelo Ministério da Justiça/Secretaria Nacional de Segurança Pública (SENASP), em Brasília. Os Delegados de Polícia Civil Adriano Bini, Diretor Adjunto da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (DEIC); e Anselmo Cruz, da Divisão de Roubos e Antissequestro (DRAS) da DEIC, representam a Polícia Judiciária de Santa Catarina neste evento.


O objetivo do fórum é definir estratégias de ações conjuntas para coibir as ações de enfrentamento aos delitos em desfavor das unidades bancárias. O evento, organizado pelo MJ/SENASP, é voltado para integrantes dos órgãos policiais, das instituições bancárias e demais organizações afins.



IMG-20150818-WA0005 tratada 2



Dentro da temática do fórum serão abordadas novas tecnologias, o Sistema Nacional de Informação de Segurança Pública (SINESP) e a integração entre órgãos policiais no combate às ações de roubo a banco. Esta última questão será abordada numa palestra pelo Delegado da DRAS/DEIC Anselmo Cruz.


Também serão realizados grupos de trabalho visando melhorias no processo investigativo, padronização de procedimentos, difusão da informação e integração entre as instituições envolvidas, controle de explosivos e repressão à lavagem de dinheiro no enfrentamento a roubos a banco.

segunda-feira, 17 de agosto de 2015

Comandante-geral entrega equipamentos do PMSC Mobile à Diretoria de Ensino da PM

unnamed 1 tratada 1
 


Florianópolis, 17.08.2015 - Nesta tarde, o comandante-geral da PM, coronel Paulo Henrique Hemm, entregou 28 tablets, uma impressora e dois kits de tecnologia móvel ao diretor Instrução e Ensino da Polícia Militar, coronel José Aroldo Schilichting. Os equipamentos serão empregados no treinamento do efetivo acadêmico dos cursos de formação e aperfeiçoamento da Polícia Militar, a fim de que os policiais estejam preparados para usar o PMSC Mobile nas unidades. 
 


O PMSC Mobile é um aplicativo para tablets e smarthphones que aperfeiçoa o processo de atendimento e registro de ocorrências policiais e de trânsito. O projeto é resultado de uma parceria com a Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP) e o Centro de Informática e Automação do Estado de Santa Catarina (Ciasc), e foi implantado de forma piloto no 12º Batalhão de Polícia Militar, em Balneário Camboriú, no mês de abril.

 
A solução é composta por um tablet com aplicativo específico e uma impressora portátil, que são usados em viaturas equipadas com o kit de tecnologia móvel. Nas demais modalidades, como policiamento a pé, montado ou de bike os policiais usam um smarthphone.

 


unnamed 3 tratada 2





Por meio do PMSC Mobile, as informações antes constadas em até 11 formulários de papel agora estão sistematizadas em um único aplicativo informatizado, tornando o processo mais ágil e menos propenso a erros.


A tecnologia empregada gera benefícios tanto para o policial como para a população, pois além de reduzir a duração do atendimento, a inserção dos dados registrados em formulários de papel nos sistemas informatizados foi suprimida, assim o efetivo é liberado para outras atividades. Outra vantagem é que as informações coletadas ficam disponíveis para os demais órgãos da segurança pública com maior agilidade.




unnamed.2 jpg tratada 3




Após a apresentação dos benefícios dessa nova tecnologia na atividade policial, vários municípios iniciaram processo de licitação para aquisição dos equipamentos e implantação nas unidades PM.

PM abre seleção de 85 novos Agentes Temporários




ART ccsnoticias2 2015 08 14 185242 agente.jpg tratada 1
 



Florianópolis (17.08.2015) - Até o próximo dia 17 de setembro, estão abertas as inscrições para o Processo Seletivo para admissão de Agente Temporário de Serviço Administrativo da Polícia Militar de Santa Catarina.




Dentre as condições necessárias para ser admitido no serviço auxiliar temporário, o candidato precisa comprovar que está desempregado no ato da assinatura do contrato,ter no mínimo 18 (dezoito) e no máximo 23 (vinte e três) anos incompletos até o último dia de inscrição,ter boa saúde (a ser avaliada em exame específico) e ter concluído o Ensino Médio, além de ser aprovado no respectivo processo seletivo, e atender outras prescrições contidas no edital. O contrato de trabalho tem duração de um ano, podendo ser prorrogado por igual período.




Os agentes temporários trabalharão nas Centrais Regionais de Emergências e nas Centrais de Videomonitoramento, podendo desempenhar algumas funções administrativas da PM, e terão direito a auxílio mensal de natureza indenizatória no valor bruto de R$ 1.017,00. Caso haja renovação de contrato por ambas as partes, o valor indenizatório bruto no segundo ano será de R$ 1.356,00.A prestação de serviço temporário não gera vínculo empregatício nem obrigação de natureza trabalhista, previdenciária ou afim.São 85 vagas, divididas entre as diversas regiões do Estado.



Para maiores informações, veja o edital completo (Clique aqui) ou acesse o site da Polícia Militar, na aba “Concursos”